Clique para ir ao início Universidade de Brasília - UnB
Decanato de Ensino de Graduação - DEG
Secretaria de Administração Acadêmica - SAA
MatrículaWeb
GRADUAÇÃO
  Seja bem-vindo(a).
  Para ter acesso ao menu de Aluno, faça o login.
MatrículaWeb  clique aqui para fazer o login.
 


Período Atual
2018/0


Disciplina - Listagem de Ementa/Programa
Disciplina: 185272 - Geopolítica
(Ver Oferta)

Graduação

Curso
Oferta
Telefones
Calendário
Mensagem da SAA
Benefícios DAC


Órgão: IREL - Instituto de Relações Internacionais
Código: 185272
Denominação: Geopolítica
Nível: Graduação
Vigência: 1962/1
Pré-req: IREL-185001 Introd Est Rel Internacionais E
IREL-185019 Teoria Rel Internacionais 1
Ementa:

esta disciplina é optativa; logo, destinada a complementar a formação do estudante de Relações Internacionais, enriquecendo-a com informações sobre as teorias clássicas da Geopolítica, bem como as leituras que atualmente se fazem dessas teorias. Além de enfatizar sua utilidade como instrumento de análise que visa orientar a ação, este curso também discute seu uso a serviço da construção de visões de

mundo tendentes a favorecer determinados princípios, valores e interesses em detrimento de outros.

Problematiza-se, de um lado, a relação entre o espaço e suas características físicas; de outro, as relações de poder no ambiente internacional contemporâneo. Orientado para alunos de graduação que já tenham cursado pelo menos TRI 1, o curso objetiva informar os participantes de uma literatura relevante na área e desenvolver-lhes habilidades críticas para empregar as possibilidades analíticas associadas ao pensamento geopolítico em suas apreciações do ambiente internacional. Por isso, também recorre a textos de “inteligência aberta”, frequentemente utilizados por tomadores de decisão em seu cotidiano. Visa, com isso, instar os estudantes a pensar o Brasil e a América do Sul, bem como as dinâmicas de segurança regional, do ponto de vista da Geopolítica.

Programa:

Unidade 1

Objetivos específicos: Apresentar o curso; repisar e discutir conceitos fundamentais nas teorias das Relações Internacionais; debater sua aplicação no campo da segurança internacional, especialmente do ponto de vista da geopolítica.

Perguntas orientadoras (válidas para o curso inteiro...) ?

Porque é importante compreender os condicionantes geográficos para se examinar a política internacional?

? Quais são as diferenças fundamentais entre os conceitos de poder e autoridade? Quais são os principais referentes de poder na análise das relações internacionais contemporâneas?

Qual é a utilidade de se diferenciar poder estrutural de poder relacional na análise da política internacional?

? Como os líderes pensam as questões estruturais na definição de suas estratégias de combate?

? Quais são as limitações éticas ao emprego da força durante conflitos internacionais?

? Quais são os determinantes geográficos da política internacional e como lidar com eles?

? Se a tecnologia permite contornar barreiras físicas impostas pela geografia, que impacto pode ter ela sobre a definição de estratégias globais para as grandes potências?

? Como relacionar novos sistemas de controle de fluxos com reordenamentos das posições relativas dos Estados nacionais no ambiente internacional?

? Como se combinam identidades culturais e/ou ideológicas com os condicionantes geográficos na política internacional?

? Em que medida regiões como a América do Sul e países como o Brasil estão condicionados, por assim dizer, por “seu lugar no mundo”?

O fato de a América do Sul estar à margem dos grandes processos geopolíticos globais lhe traz mais vantagens que desvantagens?

Quais seriam umas e outras?

Como tirar proveito daquelas e minimizar os efeitos deletérios destas?

Em que medida essas condições são consideradas nos documentos de defesa do Brasil (PND, END)?




Unidade 2
Objetivos específicos: conhecer e/ou revisar as narrativas fundadoras do pensamento geopolítico. Refletir sobre suas aplicações ao ambiente internacional contemporâneo. Perguntas orientadoras

? Em que se fundamentam, do ponto de vista epistemológico e metodológico, as narrativas geopolíticas?

? Quais são os determinantes geográficos da política internacional?

? Como relacionar os elementos fundamentais de terra, mar e ar na definição do poder nacional e da posição de cada Estado no ambiente internacional?

? Em que medida as narrativas geopolíticas são fruto de seu tempo?

Como elas relacionam com outros desenvolvimentos no campo das ciências humanas e sociais?



Unidade 3

Objetivos específicos: refletir sobre as contribuições relevantes das narrativas fundadoras do pensamento geopolítico no atual cenário internacional. Examinar elementos constantes e novas realidades relevantes para a segurança internacional.

Perguntas orientadoras

? Qual é a utilidade dos tradicionais conceitos de segurança e defesa no atual cenário de segurança internacional?

? As guerras de hoje diferem substancialmente das do passado? Se sim, em que?

? Como as potências europeias vêm reagindo às transformações globais no que concerne às questões de sua segurança?

? Faz sentido examinar as questões geopolíticas tradicionais em um mundo marcado pela crescente interdependência e por práticas pós-modernas? Qual a validade dos estudos críticos da Geopolítica?

? Como a emergência do ciberespaço e o recurso ao espaço sideral influenciam a definição de estratégias de segurança das grandes potências?

Esses espaços permitem redefinir o escopo da influência dos condicionantes geográficos na política internacional contemporânea?




Unidade 4

Objetivos específicos: considerar as tradicionais questões da geopolítica em um mundo globalizado em que os espaços cibernético e extraterrestre desempenham papel cada vez mais relevante. Examinar a possível prevalência dos fluxos sobre os obstáculos geográficos, bem como as implicações do controle sobre os fluxos

de pessoas, riquezas, informações e sistemas de comando e controle. Conhecer cenários prospectivos e perspectivas de riscos globais empregados pelos tomadores de decisão nas grandes potências.

Perguntas orientadoras
?

Do ponto de vista geopolítico, quais são os riscos de ocorrência de um conflito de grandes proporções nas próximas décadas?

Com que cenários trabalham as grandes potências e as elites internacionais?

Qual é a relevância dos novos espaços na política internacional?

Como se espera venham a relacionar-se entre si as dinâmicas de (des)equilíbrio do sistema internacional nos planos econômico, político, social e ambiental?

Que impactos essas relações terão para a segurança internacional?

Em que medida as dinâmicas globais contribuem para desestabilizar os equilíbrios regionais?

Como se espera venham a evoluir esses processos?




Unidade 5

Objetivos específicos: examinar o papel da América do Sul no ambiente de segurança internacional. Discutir os aspectos favoráveis e desfavoráveis de sua inserção internacional. Analisar os desafios e as realizações das iniciativas de cooperação regional no campo da segurança e da defesa, em especial no âmbito da UNASUL.

Conhecer os documentos de Defesa brasileiros e examiná-los do ponto de vista geopolítico.
Perguntas orientadoras ?

Em que medida regiões como a América do Sul e países como o Brasil estão condicionados, por assim dizer, por “seu lugar no mundo”?

O fato de a América do Sul estar à margem dos grandes processos

geopolíticos globais lhe traz mais vantagens que desvantagens?

Quais seriam umas e outras?

Como tirar proveito daquelas e minimizar os efeitos deletérios destas?

Em que medida essas condições são consideradas nos documentos de defesa do Brasil (PND, END)?

Bibliografia:

Leituras obrigatórias:


Tuathail, G., Dalby, S. & Routledge, P. (Eds) The Geopolitics Reader. London & New York, Routledge, 1998. Disponível em https://frenndw.files.wordpress.com/2011/03/geopol-the-geopoliticsreader.pdf

- Capítulos deste livro deverão ser lidos ao longo do semestre, conforme os temas

específicos debatidos em sala. Desde logo, os estudantes estão convidados a ler a introdução ao reader (PP 1-12).

Perspectivas teóricas tradicionais e seus desafios para pensar a relação entre espaço e poder?

Burchill,S., Linklater,A., Devetak,R., Donnelly,J., Paterson, M., Reus-Smit, C. and True, J. Theories of International Relations.Secon Edition. New York, Palgrave Macmillan, 2001. (Introdução, pp:1-28)

Strange, S. States and Markets. London, Continuum, 1994. (Introdução e capítulo 1o, pp: 1-42)

Registros de como pensa um estadista na guerra e a atualidade da geopolítica?

Gilbert, M. Churchill and Bombing Policy. Fifth Churchill Centre Lecture, Washington, D.C., 18 October 2005.

Kaplan, R. The Revenge of Geography. In Foreign Policy, May/June 2009, pp. 96, 98-105.



Leituras obrigatórias

Potências territoriais

Mackinder, H.J.:The Geographical Pivot of History," Geographical Journal, Vol.23 (1904), pp. 421-37;

? ____________: The Round World and the Winning of the Peace. In Foreign Affairs, July 1943.

(Impresso como Additional papers em Mackinder 1996 (pp:195-205).

Mackinder, H.J.: Democratic ideals and reality : a study in the politics of reconstruction. [edited by and] with a new introduction by Stephen V. Mladineo. -- NDU Press defense classic, Washington, D.C. 1996. Capítulo 6 (pp:105-128)

Iuathail, G., Dalby, S. (op cit) Parte 1 (pp: 15-43)

Potências marítimas

Mahan, A.T.: The Influence of Sea Power upon History -1660-1783. Boston, Little, Brown & Co., 1890, Introdução & Capítulo 1 (pp:1-89).

Black, B. Legacy of Mahan for the 21st Century. US Army War College, Carlisle, PA, 2006: pp 1-16.

A geopolítica da Guerra Fria

Kennan, G. [“Mr X”] (1947) The sources of Soviet conduct. Foreign Affairs 25, 566–582.

O telegrama original pode ser encontrado em http://nsarchive.gwu.edu/coldwar/documents/episode-

Kennan.htm Tuathail, G., Dalby, S. (op cit) Parte 2 (pp: 47-99)




Leituras obrigatórias

Da emergência de guerras de 4ª geração, ideias de guerras híbridas e outros desafios? Sudeepta Adhikari. Modern geopolitics versus Post-Modern Geopolitics: a critical review. In Transactions | Vol. 35, No. 1, 2013, PP 35-48.

Lind, W. S.; Nightengale, K.; Schmitt, J.F.; Sutton, J.W.; & Wilson, G.I. The Changing Face of War: Into the Fourth Generation. In Marine Corps Gazette (pre-1994); Oct 1989, pp: 22-26.

Valdai. War and Peace in the 21st Century. International Stability and Balance of New Type, disponível em http://valdaiclub.com/publications/reports/international-stability-and-balance-of-thenew-type/Hoffmann, F. Conflict in the 21st Century: The Rise of Hybrid Wars. Potomac Institute for Policy Studies, Virginia, December 2007.

Princípios e estratégias para enfrentar a nova geografia da política internacional? Strategic Trends Programme, Ministry of Defense (UK). Future Operating Environment 2035.

Kulesa, L. Towards a New Equilibrium: Minimising the risks of NATO and Russia’s new military postures. European Leadership Network Policy Brief, February 2016.

he Berlin Report of the Human Security Study Group. From Hybrid Peace to Human Security:

Rethinking EU Strategy towards Conflict. Presented to The High Representative of the Union for Foreign Affairs & Security Policy, Federica Mogherini, in Brussels, on 24 February 2016.

Saleh, A. Broadening the Concept of Security: Identity and Societal Security. In Geopolitics Quarterly, Volume: 6, No 4 , Winter 2010, pp: 228-241.




Leituras obrigatórias

Perspectivas europeias

Munich Security Conference 2017. Report 2017, disponível em

https://www.securityconference.de/en/discussion/munich-security-report/munich-security-report 2017/ (Ver video en https://www.securityconference.de/en/discussion/munich-securityreport/munich-security-report-2017/)



European Union: Shared Vision, Common Action: A Stronger Europe. A Global Strategy for the European Union’s Foreign And Security Policy, June, 2016.

Strachan, H. The Changing Character of War. A Europeaum Lecture Deivered at the Graduate Institute of International Relations, Geneva, on 9th November 2006

Entrega do Policy Brief Número 2

Perspectivas estadunidenses... Antes de Donald Trump? National Intelligence Council. Global Trends. Paradox of Progress. Disponible en https://www.dni.gov/files/images/globalTrends/documents/GT-Full-Report.pdf? .

The Diplomat, May 17 2017, disponível em http://thediplomat.com/2017/05/geography-and-thecoming-us-china-war-at-sea/)

Friedman, G. & Shapiro, J. L. The Geopolitics of 2017 in 4 Maps. Geopolitical Futures, January 23, 2017 https://geopoliticalfutures.com

Perspectivas globais ? Foro Económico Mundial. Riesgos Globales en 2017, disponible en

http://www3.weforum.org/docs/GRR17_Report_web.pdf

UNHCR. Global Trends. Forced Displacement in 2016.

Scholvin. S. Geopolitics. An Overview of Concepts and Empirical Examples from International Relations. The Finnish Institute of International Affairs Working Paper 91, April 2016.




Leituras obrigatórias

Perspectivas regionais: A América do Sul na Geopolítica global

Sanahuja, J. A. & Verdes-Montenegro Escánez, F. Seguridad y defensa en Suramérica: regionalismo, cooperación y autonomía en el marco de UNASUR: Anuario de Integración 10, Año 2014 487-530, disponível em http://www.cries.org/wpcontent/uploads/2014/11/Anuario-2014-1.pdf.?

Universidad de las Fuerzas Armadas de Ecuador. Geopolítica y Estratégia Suramericana. Disponível em http://repositorio.espe.edu.ec/?

Wilton Park & Pandiá Report: New configurations of international order: values, principles, alliances and alignments, disponible en http://www.pandia.defesa.gov.br/en/e-library/14-outras/579-reportnew-configurations-of-international-order

Estudio prospectivo: Suramérica 2025, 1a Parte. CEED, 2015, disponible

en http://www.ceedcds.org.ar/Espanol/09-Downloads/RRNN2025-NOV-2015-WEB.pdf

(01/12) O Brasil na geopolítica global a partir de seus documentos oficiais

Miyamoto. S. Os estudos geopolíticos no Brasil: uma contribuição para sua avaliação. Perspectivas, São Paulo, 4, 1981, pp 75-92.

Albuquerque, E.S. 80 Anos da Obra Projeção Continental do Brasil, de Mário Travassos. Revista do Departamento de Geografia – USP, Volume 29 (2015), pp. 59-78.

Castro, T. CASTRO, Therezinha de. América do Sul: vocação geopolítica. Rio de Janeiro: Escola Superior de Guerra, 1997. In IBGE. Geografia e Geopolítica – A contribuição de Delgado de Carvalho e Therezinha de Castro. Documentos para Disseminação, Memória Institucional 16, Rio de Janeiro, 2009, PP: 343-365.

CARVALHO, Delgado de.; CASTRO, Therezinha de. Geografia Política e Geopolítica. Boletim Geográfico, Rio de Janeiro: IBGE, v. 14, n. 133, p. 382-391, jul./ago. 1956. In IBGE (2009), op cit,PP: 401-410.

Ferreira. O. S. Forças Armadas Para quê? Rio de Janeiro, Edições GRD, 2004

Ministério da Defesa. Política Nacional de Defesa e Estratégia Nacional de Defesa

Leituras adicionais:

Brasil 2035 : cenários para o desenvolvimento / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Associação Nacional dos Servidores da Carreira de Planejamento e Orçamento. – Brasília : Ipea : Assecor, 2017. 320p.Ministério da Defesa. Livro Branco de Defesa Nacional (LBDN).



Leituras e recursos complementares


Adler, E. & M. Barnett (eds.), Security Communities, Cambridge, Cambridge University Press, 1998.

Baldwin, D. (1997) The Concept of Security - Review of International Studies, 1997, 23, 5-26, disponível em http://www.princeton.edu/~dbaldwin/selected%20articles/Baldwin%20(1997)%20The%20Concept%20of%20 Security.pdf).

Duffield, Mark (2001) Global Governance and the New Wars: The merging of development and security. London: Zed Books

Fierke, K.M. Critical Approaches to International Security. Cambridge: Polity Press, 2007.

Gloannec et allii. The Transatlantic relationship and The future Global GovernanceTransworld, Working Paper 13, 2013, disponível em

http://www.transworld-fp7.eu/wp-content/uploads/2013/04/TW_WP_13.pdf

Hurd, I. Legitimacy and Authority in International Politics. International Organization 53, 2, Spring 1999, pp. 379–408.

Kaldor, M. In Defence of New Wars. Stability (2013), 2(1):4, pp.?1-16, Disponível em

www.stabilityjournal.org/articles/10.5334/sta.at/galley/40/download/

Messias da Costa, W. Geografia Política e Geopolítica. São Paulo, EDUSP, 1991.

______________O Brasil e a América do Sul: cenários geopolíticos e os desafios da integração. In Confins

[Online], 7 | 2009, posto online em 31 octobre 2009, disponível em http://confins.revues.org/index6107.html

Kaldor, M. New and Old Wars: Organized Violence in a Global Era. Cambridge/ Stanford: Polity Press/Stanford University Press, 1999.

Pinker, S. A History of Violence Edge Master Class 2011, disponível em

http://edge.org/conversation/mc2011-history-violence-pinker

Pradham, P. K. (Ed). Geopolitical Shifts in West Asia: Trends and Implications. New Delhi, IDSA/Pentagon Press, 2016.

© 2017 CPD - Centro de Informática
UnB - Universidade de Brasília