Clique para ir ao início Universidade de Brasília - UnB
Decanato de Ensino de Graduação - DEG
Secretaria de Administração Acadêmica - SAA
MatrículaWeb
GRADUAÇÃO
  Seja bem-vindo(a).
  Para ter acesso ao menu de Aluno, faça o login.
MatrículaWeb  clique aqui para fazer o login.
 


Período Atual
2017/2


Disciplina - Listagem de Ementa/Programa
Disciplina: 161934 - ENERGIA RENOVAVEL
(Ver Oferta)

Graduação

Curso
Oferta
Telefones
Calendário
Mensagem da SAA
Benefícios DAC


Órgão: FAV - Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária
Código: 161934
Denominação: ENERGIA RENOVAVEL
Nível: Graduação
Vigência: 1998/1
Pré-req: FIS-111015 INTRODUCAO A FISICA OU
IFD-118109 FISICA P/ CIENCIAS AGRARIAS E
CEL-121011 BIOQUIMICA E BIOFISICA OU
CEL-121240 BIOQUIMICA FUNDAMENTAL
Ementa:

CADA VEZ MAIS SE TORNA IMPERIOSO ENCONTRAR VIAS PARA UM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. OS EMPRESÁRIOS RURAIS TEM QUE USAR MAIS RACIONALMENTE OS RECURSOS NATURAIS. PARA QUE A EMPRESA RURAL PERDURE NECESSÁRIO SE FAZ QUE TODOS UTILIZEM OS RECURSOS NATURAIS COM UMA MAIOR PARCIMÔNIA. DESTA MANEIRA TODOS PODERÃO CONTINUAR A TER ACESSO A ESTES RECURSOS. ASSIM SENDO A UTILIZAÇÃO DA ENERGIA, DA ÁGUA E DOS SOLOS DEVERÁ SER FEITA COM NOVAS TÉCNICAS. UMA UTILIZAÇÃO MAIS AMPLA DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS PODE AJUDAR A ENCONTRAR AS VIAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. ISTO PODE SER FEITO DE VÁRIAS FORMAS:

A) OS SISTEMAS DE PRODUÇÃO PODEM SER REFORMULADOS DE TAL MANEIRA DE DIMINUIR A INTENSIDADE ENERGÉTICA NECESSÁRIA PARA PRODUZIR CADA UNIDADE DE PRODUTO.

B) A ENERGIA DE FONTES FÓSSEIS UTILIZADA NA PRODUÇÃO, PODE GRADATIVAMENTE SER SUBSTITUÍDA POR FONTES RENOVÁVEIS.

C) O MEIO RURAL PODE GERAR EXCEDENTES DE ELETRICIDADE PROVENIENTE DE FONTES RENOVÁVEIS E SER VENDIDA À REDE OU PRODUZIR COMBUSTÍVEIS.

ESTE CURSO VAI ABORDAR FUNDAMENTALMENTE OS PONTOS B) E C)

Programa:



1. INTRODUCAO (6 h)

1.1. CONCEITOS BÁSICOS DA FÍSICA DA ENERGIA E DE TERMODINÂMICA

1.2. A NOÇÃO DE ECO-DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.

1.3. A HISTÓRIA ECONÔMICA E A GEOPOLÍTICA DA ENERGIA.

1.4. A MUDANÇA DO PARADIGMA ENERGÉTICO AP[OS OS "CHOQUES DE PREÇOES" DO PETRÓLEO.

1.5. O APRIMORAMENTO DAS TECNOLOGIAS.

1.6. O CONTESTO SOCIAL MAIS FAVORÁVEL ÀS TECNOLOGIAS "LIMPAS".



2. AS ENERGIAS RENOVÁVEIS (6 h)

2.1. AS ENERGIAS RENOVÁVEIS HÍDRICAS, SOLARES, DA BIOMASSA, GEOTÉRMICAS E EÓLICAS. A PILHA À COMBUSTÍVEL.

2.2. O PREVISÍVEL AVANÇO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS NO SÉCULO XXI. OS ACORDOS DE KYOTO DE REDUÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA. SEUS EFEITOS SOBRE AS ENERGIAS RENOVÁVEIS E SOBRE A MATRIZ ENERGÉTICA EM PAÍSES COMO O BRASIL.

2.3. AS POLÍTICAS ENERGÉTICAS CONCERNENTES AS ENERGIAS RENOVÁVEIS NO MUNDO E NO BRASIL.



3. A ENERGIA NO MEIO RURAL (4 h)

3.1. O AUMENTO DA PRODUTIIVDADE AGRÍCOLA ACIONADO PELO PETRÓLEO BARATO.

3.2. O BALANÇO ENERGÉTICO DE AGROSISTEMAS.

3.3. DIMENSIONAMENTO DAS NECESSIDADES EM ENERGIA DE UMA PROPRIEDADE AGRÍCOLA.



4. A ENERGIA HIDRÁULICA (8 h)

4.1. A ENERGIA HIDRÁULICA DE QUEDAS DE RIOS, DAS MARÉS E DAS ONDAS DO MAR.

4.2. O GRANDE POTENCIAL AINDA POR EXPLORAR NO BRASIL DESDE A GRANDE ATÉ A PEQUENA ESCALA.

4.3. CÁLCULO DO POTENCIAL HIDRÁULICO DE RIOS.

4.4. ESCOLHA DE SÍTIOS DE APROVEITAMENTO. COLETA DE DADOS FUNDAMENTAIS PARA O PROJETO.

4.5. ROTEIRO DE PROJETO DE UMA PEQUENA CENTRAL HIDRELÉTRICA. ESCOLHA DO SISTEMA TÉCNICO.



5. A ENERGIA SOLAR (8 h)

5.1. NATUREZA DA RADIAÇÃO SOLAR.

5.2. APROVEITAMENTOS TÉRMICOS PARA AQUECIMENTO E SECAGEM.

5.3. APROVEITAMENTOS PARA GERAÇÃO DE ELETRICIDADE. SISTEMAS FOTOVOLTÁICOS.



6. A ENERGIA DA BIOMASSA (4 h)

6.1. O POTENCIAL DE ENERGIA CONTIDA NA BIOMASSA.

6.2. O PROCESSO DE ACUMULAÇÃO DA ENERGIA NA BIOMASSA.

6.3. O PROGRAMA DO ÁLCOOL (PROALCOOL) NO BRASIL. ANTECEDENTES, SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS.



7. PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO E UTILIZAÇÃO DA ENERGIA DA BIOMASSA (22 h)

7.1. PROCESSOS BIOLÓGICOS: FERMENTAÇÃO COM PRODUÇÃO DE BIOGÁS E ETANOL. OS ÓLEOS VEGETAIS.

7.2. PROCESSOS FISICO-QUÍMICOS: GASEIFICAÇÃO, PRODUÇÃO DE METANOL, DE GASOGÊNICOS, PIRÓLISE, HIDROGASEIFICAÇÃO.

7.3. PRODUÇÃO DE CARVÃO VEGETAL. ASPECTOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS



8. ENERGIA EÓLICA (4 h)

8.1. O POTENCIAL DA ENERGIA EÓLICA NO MUNDO E NO BRASIL.

8.2. ONDE PODE SER APROVEITADA MELHOR A ENERGIA EÓLICA NO BRASIL.

8.3. PRINCIPAIS SISTEMAS TÉCNICOS DE TURBINAS EÓLICAS.

Bibliografia:

1.ACIOLI,J.L. 1ª ED. FONTES DE ENERGIA UNB, 1994

2. MEDEIROS, J.X. RJ , 2ª ED. ASPECTOS ECONÔMICOS-ECOLÓGICOS DA PRODUÇÃO DO CARVÃO VEGETAL CORTEZ,1998

3. JANNUZZI, G.M. ET AL. CAMPINAS 1ª ED.

PLANEJAMENTO INTEGRADO DE RECURSOS ENERGÉTICOS, AUT. ASSOCIADOS 1993

4. FRAENKEL,P.ETAL. LONDRES, ICRO-HYDRO POWER. A GUIDE FOR DEVELOPMENT WORKERS IT. PUB./ SEI ,1991

5. SEVÁ FILHO ET AL. RJ 2ª ED. RENOVAÇÃO E SUSTENTAÇÃO DA PRODUÇÃO ENERGÉTICA CORTEZ, 1998.

6. SOUZA ET AL. SÃO PAULO. CENTRAIS TERMELÉTRICAS E. BLUCHER , 1983

7. BARNES, P.R., VAN KYKE, J.W. ET AL. WASHINGTON 1ª ED.

THE INTEGRATION OF RENEWABLE ENERGY

SOURCESINTO. ORNL/DOE , 1994

CHABOT, B. PARIS

ANALYSE ÉCONOMIQUE ... DES ÉNERGIES

RENOUVELABLES UNESCO 1995

© 2017 CPD - Centro de Informática
UnB - Universidade de Brasília